White rock by Michael Reichmann

branca pedra
por madalena pestana

"Vou-lhe dizer um grande segredo, meu caro. Não espere o juízo final. Ele realiza-se todos os dias." "La Chute" - Albert Camus

Portugal

15 setembro 2005

ergueu as flores de Ada


imaginou a agilidade dos dedos da mulher ao tocá-las, o carinho.

eram para ti. são para ti. da côr exacta do sol que hoje não veio.

como fui crédulo ao pensar que lembrando-te com toda esta saudade, recordando-te inteira, tu virias!

dá uns passos na direcção do mar. fica-lhe para trás o último rasto de romeiro, o cantil já vazio.

vê as ondas. vêm quebrar-lhe aos pés. parece querer contá-las com exactidão.

porque esperavas sempre a sétima onda antes de deitares flores ao mar?

Ondeia, diz-me!

nem que seja só isso. não cheguei a saber. talvez até o tenhas dito e eu não tenha ouvido, mais preso a ti do que ao que tu fazias. mais preso a querer-te que de facto a ver-te.

meu amor, a ser assim quanto perdi de ti ?!

porque não me avisaste? não gritaste? para me fazer sair deste egoísmo de querer fechar-te na mão, como uma jóia, em vez de te deixar ondear no mesmo vento que te trouxe a mim.

à certa sétima onda, Jaime atirou os girassóis às vagas.


Dream Lover Med


voltou-se bruscamente de costas para o mar. tropeçou numa pedra. numa branca pedra que até vira, ou não vira? ao chegar.

baixou os olhos na direcção da pedra, fixo. atento.


- tens cigarros?

- não.

Ondeia!

dá-me a tua mão, meu amor . a mão! apenas .

by Brian Morrison


fim de "Ondeia"

10 pedradas:

Blogger Lumife atirou...

Finalmente encontrou Ondeia...

Pedra : como simples leitor e sem qq outra preparação que o sentimento posso dizer após leitura de todos os textos que és alguém que devia aproveitar esse dom que emana de ti, que nos prende e cativa para, caso o não tenhas feito já, escrever um livro. Romance ou de contos adivinho sucesso para tua e nossa alegria.

Parabéns por estes momentos de felicidade para quem gosta de ler.

Beijos.

16/9/05 1:07 da manhã  
Blogger paper life atirou...

Obrigada Lumife, pela comparência assídua e as palavas.

Sabes, fica-se muito só qd se perde uma amiga como o foi até há pouco, Ondeia.

:D Bjs.

16/9/05 1:15 da manhã  
Blogger Lina atirou...

Não posso nem quero lembrar assim desta forma perdas muito recentes, e porque entendo esse sentido de solidão, deixo-te um beijo no coração.

P.S. já recebi o email, mas cheguei tarde, tenho andado numa barafunda, quem sabe amanhã :)

16/9/05 1:39 da manhã  
Blogger wind atirou...

Estou quase sem palavras. Magnífico conto poético! As imagens estão muito bem escolhidas (para variar). É sempre mau a perda de alguém:( Estou com o lumife: Pensa em escrever contos e em editar:) bjs

16/9/05 2:07 da manhã  
Blogger batista filho atirou...

Mágicos momentos que nos proporcionaste.
Essa praia não é só de Jaime e Ondeia/Ada, é tua... mas também és tu!... por isso, quando dela falas, ou dos caminhos que levam a ela - nos encantas dessa forma.
Não tenho dúvida nenhuma: essa praia é tua.

16/9/05 2:39 da manhã  
Blogger romero atirou...

Que bonita historia, me quede casi sin saber que comentar.Pero, con calma, voy comentar...beso

16/9/05 11:34 da manhã  
Blogger O Micróbio atirou...

Que dizer?
Bom fim de semana... :-)

16/9/05 12:05 da tarde  
Blogger ognid atirou...

porra!!! demorei mas consegui :)) a sério o conto prende. gosto da história e gosto do modo como a escreveste. és uma pedra muito talentosa minha Irmã :)

beijos

p.s. enquanto lia o conto houve outra pedra, se calhar tua prima, que não parava de atazanar o juizo :)

17/9/05 12:22 da manhã  
Blogger paper life atirou...

(sai-me cada comentário na rifa!)

obrigada meu Irmão. aproveita e dá um xuto na pedra! :D

17/9/05 12:26 da manhã  
Blogger Laurindinha atirou...

Muito muito bom conto!

:)

18/9/05 6:42 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home