White rock by Michael Reichmann

branca pedra
por madalena pestana

"Vou-lhe dizer um grande segredo, meu caro. Não espere o juízo final. Ele realiza-se todos os dias." "La Chute" - Albert Camus

Portugal

23 setembro 2005

era mais fácil parar o comboio


com uma mão, que parar o que me vem à cabeça nesta hora.

quando assim é, aterro numa cadeira e fico ali, parada, como um flamingo numa perna só. não oiço ou vejo nada nem ninguém.

o mal foi esse, viram-me assim demasiado tempo e as perguntas choveram como pedras. que carinho é palavra e sentimento desconhecido lá em casa. gasta-se mais depressa que dinheiro em mão de jogador. e então, para o não gastarem, nem o usam.

mas acabariam por saber. tudo se sabe nas terras pequenas. tudo. eu própria teria necessidade de falar, mas não com ela. com ela nunca tive.

queria achar um culpado. não consigo. nem bem a razão foi o dinheiro como quis acreditar. que dinheiro afinal?

as coisas práticas vieram por acréscimo não foram nenhum trato, nenhum preço.

preço tenho só um e só eu o conheço. não foi essa a razão e não há culpados. mas para a vila há crime. para a minha mãe há vergonha. como é que eles fazem isto, digam lá?

é melhor distrair-me com o som do comboio nos carris. gosto do som. é dolente. cadencia quase de onda com um pouco, bem... muita imaginação.

o outro não resiste a uma gargalhada. deixa-o estar. também só me ri de raiva. muita raiva. se lhe falasse agora pagava ele pelos outros. isso não.

8 pedradas:

Blogger batista filho atirou...

... leio, absorvo, aguardo.

23/9/05 12:04 da tarde  
Blogger wind atirou...

Subscrevo as palavras do Baptista Bastos. bjs

23/9/05 12:50 da tarde  
Blogger wind atirou...

Perdão: Batista Filho.lololol

23/9/05 12:50 da tarde  
Blogger batista filho atirou...

Para WIND:

:)

Para PEDRA FALANTE:
beleza de fotografia!!!

23/9/05 6:58 da tarde  
Blogger romero atirou...

Pensamientos que ocurren en esa viagen fantastica, mismo pensamientos de rabia :) todo vale , no ?:)
besitos

23/9/05 7:56 da tarde  
Blogger r.e. atirou...

foi bom vir aqui. obrigado pela tua visita à Madrugada. sim, talvez a penumbra nos seja comum, como complemento necessário a qualquer tipo de alvura, de pedra ou de luz. beijinho. J.

23/9/05 11:20 da tarde  
Blogger Dizzie atirou...

"...melhor distrair-me com o som do comboio nos carris. gosto do som. é dolente. cadencia quase de onda com um pouco, bem... muita imaginação"

Creo que esto, hace con que nuestra imaginacion, no pare....nuestra miente tiene una velocidad alucinante, y todos/as eses recuerdos, con algo mas del presente se mesclan con la imaginacion que es interrompida por alguien, "ese otro"...

:))

26/9/05 3:21 da tarde  
Blogger Quem sabe... atirou...

-Deixarmo-nos embalar, pela cadencia ...de uma viajem de comboio....principalmente se for dos antigos....(até esses já são poucos....)

:(....estou a ficar velha...:((((

Quero esses combóios....para deixar fluir assim a imaginaço, com as paisagens q passam tão apressadas e que fazem parar o tempo.....gosto demais....

bjs :)

26/9/05 10:49 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home